Dedetizadora de Ratos em Cotia

SAM_0732 uzun-kuyruklu-siyah-gozlu-fareler 1Dedetizadora de Ratos em Cotia: Oferecemos serviço de desratização, controle de ratos, em Cotia a dedetizadora de ratos, matar, elimina colônia, não vai acaba com os ratos nem eliminar vai controlar. Os ratos são encontrados no mundo inteiro vivendo sempre em associação com o homem, originários da Ásia. Acompanharam os homens no desenvolvimento de suas culturas até atingirem todos os continentes. Transportados por navios à partir da Índia e do Golfo Pérsico, para o Mar Vermelho, África e Mediterrâneo. Na época das Cruzadas (século XIII e XIV) já eram combatidos com o uso de arsênico. O primeiro roedor a aparecer foi o rato de telhado (rattus rattus) e na América do Sul seu aparecimento foi no Peru no ano de 1544. A ratazana (ratus novergicos) tem a sua origem, seguindo os mesmos caminhos, e chegando à Europa no começo do século XVIII e posteriormente à América. Adaptou-se em ambientes subterrâneos formando túneis (tocas) com grandes profundidades. Os camundongos (mus musculus) tiveram origem na Rússia e Irã e daí disseminaram-se pelo mundo através das rotas das caravanas desde do século IX. Os roedores são os piores inimigos do homem; causam-lhes prejuízos econômicos, transmitem doenças e são encarados como pestes caseiras. Após a Segunda Grande Guerra Mundial foram desenvolvidas diversas técnicas e procedimentos para a eliminação dos roedores, com programas que abrangiam todas as áreas relacionadas às infestações. Dedetizadora em Cotia, atende todos os dia da semana inclusive no feriado, ligue e solicite o orçamento sem compromisso. A Universo realiza trabalhos de Desratização, com equipe pronta e equipada para atende-lo 24horas. Oferecemos uma visita gratuita com atendimento imediato e um orçamento sem compromisso.

06-infestacao-de-ratosOs ratos são animais que vivem em grupos ,convivem em colônia que  consiste de pequenas famílias com um macho adulto dominando uma. ou  mais fêmeas adultas e suas respectivas ninhadas. Os machos dominantes  protegem a área. pertencente a colônia dividindo-a pelo número de ninhos  existentes. O território da colônia nem sempre é uma área delimitada e  fechada, sendo constituída apenas de trilhas marcadas por urina e secreções  que servem de orientação. Os ratos dominante da colônia são machos e fêmeas mais forte e em idade de reprodução, e os dominados os ratos jovens ou muito velhos. Os machos dominantes expulsam os outros machos os quais permanecem à margem do território, alimentando-se das sobras do dominante. Porém ao identificarem uma nova fonte de alimento (iscas) no território, o dominante espera o dominado ingerir parte deste novo alimento no aguardo de sinais que indiquem que este alimento é seguro. Por isso que os raticidas que possuem efeito imediato demonstram resultado satisfatório no início do controle, e após um período reaparece a infestação com os ratos sobreviventes, ou seja, os dominantes que não ingeriram a isca e passam a rejeitá-la e o local em que se encontrava. O comportamento social destes roedores confere a colônia um maior número de fêmeas, maior taxa de reprodução e localização estratégica dos ninhos em relação as fontes de alimento e água. A disponibilidade de abrigo, alimento e água determinam o potencial da colônia, podendo ser maior ou menor o número de indivíduos. As áreas urbanas no modelo atual propiciam condições ideais para a proliferação destes roedores. O lixo acumulado e os lixões constituem-se em uma grande fonte alimentar para estes animais. A água pode ser obtida nos alimentos, córregos, redes fluviais, vazamentos e caixas d"água descobertas. Pela facilidade em cavar e escalar estes roedores encontram com facilidade locais para construção e/ou instalação de seus ninhos. Onde ocorre abundância de alimento podemos encontrar mais de uma espécie de roedores. No caso de limitação de alimento geralmente encontramos uma única espécie.

242 - Copia Rato 5fa73e45a2a521cda691658116cda2f9dcbe25ca

A alta taxa reprodutiva, rápida maturação sexual e grande número de filhotes em cada gestação são alguns dos fatores que favorecem a explosão populacional destes roedores. Os fatores que limitam o crescimento populacional são principalmente a disponibilidade de alimentos e a ação do homem no controle destes animais. Os cães e gatos domésticos não representam um fator eficiente no controle populacional de roedores. A quantidade de roedores nas diferentes faixas etárias, em uma colônia varia com a taxa de reprodução, mortalidade e migração, que são diretamente afetados pela disponibilidade de alimento, abrigo e água; doenças e parasitas dos roedores a ação do homem. O crescimento de uma colônia ocorre lentamente no seu início e rapidamente após um certo período, até os recursos no território da colônia ficarem limitados. O superpovoamento do espaço territorial acarreta luta entre os roedores, queda na taxa de fertilidade das fêmeas, canibalismo com os recém-nascidos e como conseqüência destes fatores o declínio da população. Por último ocorre a migração para outras áreas com melhores condições de sobrevivência, podendo ser interpretada até como uma dispersão forçada, destes roedores. Após o retorno do equilíbrio no territorial da colônia, esta volta a crescer acentuadamente até esgotar novamente os recursos disponíveis e as conseqüências acima mencionadas voltam a acorrer.

245 - Copia Os ratos são portadores de 18 espécies de pulgas, piolhos, carrapatos,  além do que transmitem mais de 35 doenças ao homem e animais  domésticos. Nas indústrias, os estragos causados pelos ratos nos grãos  armazenados, nas fiações elétricas têm causado incêndios de prejuízos  incalculáveis. Como podemos observar é de suma importância que cada  um se conscientize da necessidade de proteger o seu ambiente contra esse  animal que possui tamanha capacidade de proliferação. A nossa empresa  é dotada de sofisticados métodos de desratização contra roedores em São Paulo, sejam eles camundongos (Mus musculus), Ratos de telhados (Rattus rattus) ou Ratazanas (Rattus norvegicus). Com métodos sem cheiro, sem sujeiras e totalmente seguros, sem riscos de contaminação de pessoas ou animais não alvos. A empresa Universo, tem uma vasta experiência no mercado de controle de pragas urbana em São Paulo. Universo temidos e abominados, os ratos, as ratazanas e os camundongos, vem acompanhando o homem na maioria das áreas habitadas do mundo. A facilidade de adaptação permitiu que estes roedores ocupassem, ao longo de vários séculos, todos os continentes, inclusive ilhas isoladas do Oceano Pacífico. O despejo irregular do lixo e o descuido do homem na manipulação de alimentos são fatores que também favorecem a dispersão destes roedores. No ambiente urbano, os roedores são responsáveis por grandes prejuízos econômicos, contaminando alimentos e ocasionando, inclusive, incêndios ao roerem o isolamento de fios elétrico. Ratazanas, ratos e camundongos têm excelente capacidade de adaptação. São onívoros e consomem diariamente cerca de um décimo do seu peso em alimento. Possuem dois pares de dentes incisivos (um par no maxilar superior e um par no maxilar inferior), revestidos externamente por uma camada de esmalte muito resistente. Estes dentes crescem até três milímetros por semana. Para desgastá-los roem objetos de grande resistência, tais como: concreto, chumbo e madeira. A capacidade de reprodução dos roedores é extraordinária. Um casal pode produzir mais de 15.000 descendentes por ano, porém este número se reduz de forma drástica devido à ação de fatores limitativos que controlam o equilíbrio entre reprodução, migração e morte. Destacando-se: inimigos naturais, doenças, disponibilidade de alimentos e abrigos, etc.

Os ratos são animais que vivem em grupos, convivem em colônia que consiste de pequenas famílias com um macho adulto dominando uma. ou mais fêmeas adultas e suas respectivas ninhadas. Os machos dominantes protegem a área. pertencente a colônia dividindo-a pelo número de ninhos existentes. O território da colônia nem sempre é uma área delimitada e fechada, sendo constituída apenas de trilhas marcadas por urina e secreções que servem de orientação. Os ratos dominante da colônia são machos e fêmeas mais forte e em idade de reprodução, e os dominados os ratos jovens ou muito velhos. Os machos dominantes expulsam os outros machos os quais permanecem à margem do território, alimentando-se das sobras do dominante. Porém ao identificarem uma nova fonte de alimento (iscas) no território, o dominante espera o dominado ingerir parte deste novo alimento no aguardo de sinais que indiquem que este alimento é seguro. Por isso que os raticidas que possuem efeito imediato demonstram resultado satisfatório no início do controle, e após um período reaparece a infestação com os ratos sobreviventes, ou seja, os dominantes que não ingeriram a isca e passam a rejeitá-la e o local em que se encontrava. O comportamento social destes roedores confere a colônia um maior número de fêmeas, maior taxa de reprodução e localização estratégica dos ninhos em relação as fontes de alimento e água. A disponibilidade de abrigo, alimento e água determinam o potencial da colônia, podendo ser maior ou menor o número de indivíduos. As áreas urbanas no modelo atual propiciam condições ideais para a proliferação destes roedores. O lixo acumulado e os lixões constituem-se em uma grande fonte alimentar para estes animais. A água pode ser obtida nos alimentos, córregos, redes fluviais, vazamentos e caixas d"água descobertas. Pela facilidade em cavar e escalar estes roedores encontram com facilidade locais para construção e/ou instalação de seus ninhos. Onde ocorre abundância de alimento podemos encontrar mais de uma espécie de roedores. No caso de limitação de alimento geralmente encontramos uma única espécie.

REPRODUÇÃO.

A alta taxa reprodutiva, rápida maturação sexual e grande número de filhotes em cada gestação são alguns dos fatores que favorecem a explosão populacional destes roedores. Os fatores que limitam o crescimento populacional são principalmente a disponibilidade de alimentos e a ação do homem no controle destes animais. Os cães e gatos domésticos não representam um fator eficiente no controle populacional de roedores. A quantidade de roedores nas diferentes faixas etárias, em uma colônia varia com a taxa de reprodução, mortalidade e migração, que são diretamente afetados pela disponibilidade de alimento, abrigo e água; doenças e parasitas dos roedores a ação do homem. O crescimento de uma colônia ocorre lentamente no seu início e rapidamente após um certo período, até os recursos no território da colônia ficarem limitados. O superpovoamento do espaço territorial acarreta luta entre os roedores, queda na taxa de fertilidade das fêmeas, canibalismo com os recém-nascidos e como conseqüência destes fatores o declínio da população. Por último ocorre a migração para outras áreas com melhores condições de sobrevivência, podendo ser interpretada até como uma dispersão forçada, destes roedores. Após o retorno do equilíbrio no territorial da colônia, esta volta a crescer acentuadamente até esgotar novamente os recursos disponíveis e as conseqüências acima mencionadas voltam a acorrer.

HABILIDADES – SENSORIAIS.
Olfato: Bastante apurado, com memorização dos diferentes gostos experimentados. Repelem alimentos deteriorados.
Tato: O sentido mais desenvolvido, ao nível de certos pelos sensoriais distribuídos pelo corpo e dos bigodes ou vibrissas, que são de grande utilidade para o seu deslocamento, beirando as superfícies laterais das paredes e dos obstáculos.

Audição: É um dos sentidos mais desenvolvidos, ajuda a detectar e escapar do perigo com antecedência. São sensíveis aos ultra-sons, mas adaptam-se aos mesmos, em pouco tempo.

Visão: Os ratos enxergam mal e não conseguem distinguir cores. Mas são bastante sensíveis às variações de intensidade luminosa, o que confere aos mesmos capacidade imediata de perceber movimentos.

SAM_1795 SAM_1788 SAM_1787 SAM_1785

HABILIDADES – FÍSICAS.

Passando a cabeça são capazes de se locomover pelo interior de canos, conduites e tubulações de diversos tamanhos. Roem vários tipos de materiais considerados duros, entre eles, madeira, tijolos, chumbo, alumínio, etc. Sustentam a respiração por até 3 minutos, e nadando dentro de um cano de esgoto, podem facilmente penetrar em uma residência através do vaso sanitário. Exímios nadadores, alcançando distâncias até 800 metros. Sobem pelo exterior de canos e calhas verticais que estejam separados de uma parede por até 7,5 cm de distância, apoiando as patas no cano e as costas na parede ou vice-versa. Sobem pelo exterior de canos e calhas verticais que tenham até 9,5 cm de diâmetro, abraçando-se neles. Pulam verticalmente cerca de 1 metro de altura, partindo do chão. Caminham e equilibram-se sobre qualquer tipo de cano ou conduite horizontal. Acessam andares superiores de edificações, através do interior de canos e calhas com diâmetro entre 4 e 10 cm, usando para isso o apoio de suas patas e costas. Cavam tocas verticais no solo podendo atingir até 1,25 metros de profundidade. Ganham andares superiores de construções fazendo uso somente de quina de duas paredes como sustentação. Não sofrem qualquer tipo de ferimento em quedas até 15 metros de altura. Saltam horizontalmente até 1,2 metros de distância, partindo da imobilidade. As ratazanas e os ratos de telhado ou pretos vivem em colônias localizadas em lugares bem definidos. Já os camundongos formam apenas casais que se mantém juntos até o fim da vida. Os roedores exercem suas atividades predominantes à noite. Iniciam a procura de alimentos ao anoitecer e um repasse antes do nascer do dia. Apenas quando houver uma superpopulação ou falta de alimento ou de perigo serão vistos durante o dia.

PREFERÊNCIAS ALIMENTARES.

Onívoros (comem de tudo). Preferem alimentos frescos aos estragados ou fermentados. Preferem cereais (grãos quebrados), frutas, carnes e peixes.

DOENÇAS TRANSMITIDAS.SAM_1757

  • Leptospirose – Salmonelas.
  • Peste Bubônica – Hantavírus
  • Sarnas e Micoses
  • Febre de mordedura – Tifo murino

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS.

Os ratos apresentam hábitos noturnos. É possível, embora raro, vê-los durante o dia, quando sua população aumenta tanto que a concorrência por comida faz com que mudem seus hábitos para evitar a competição entre eles. Podem sair durante o dia também quando estão feridos ou quando suas tocas são invadidas pelas enchentes. Vivem em sociedade, com indivíduos dominantes (machos e fêmeas mais fortes) e os dominados. Os machos dominantes escolhem os melhores locais do ambiente da colônia e se alimentam quando querem. Os dominados ocupam áreas marginais e se alimentam somente quando não há ratos dominantes por perto. Entretanto, se houver a presença de um alimento novo no território da colônia (isca raticida ou uma ratoeira, por exemplo), o dominante espera que algum rato dominado se aproxime e se alimente. Se nada lhe acontecer, o dominante o expulsa e ingere o alimento ou a isca. Mas se houver a morte logo após a ingestão do alimento, os ratos farão uma associação entre a morte do colega e o consumo daquele alimento (ou isca), e não mais consumirão esse alimento, sendo um comportamento seguido pelos outros integrantes da colônia.

Na falta de alimentos na colônia, pode ocorrer o canibalismo, sendo devorados os mais fracos e doentes, ou ainda os filhotes de uma ninhada pertencentes a um outro grupo. images (2)

Os ratos apresentam algumas habilidades físicas impressionantes:

  • Podem penetrar em qualquer abertura, desde que consigam passar a cabeça.
  • Conseguem roer diversos materiais duros, como madeira, tijolos, chumbos e até áreas cimentadas.
  • As ratazanas ou ratos de esgoto podem nadar a distâncias de até 800m. Também conseguem prender a respiração e nadarem submersas por quase 3 minutos. Dessa forma conseguem invadir residências ou apartamentos próximos do térreo através do vaso sanitário.
  • Os ratos de telhado podem subir pelo interior de canos ou calhas que medem de 4 a 10 cm de diâmetro.
  • As ratazanas podem cavar túneis no solo que atingem até 1,25 m de profundidade.

PRINCIPAIS ESPÉCIES.

Existem mais de 1.700 espécies descritas pelo mundo, e cerca de 130 são classificadas como pragas.

No Brasil consideramos 3 espécies principais:

  1. a) Ratazana ou rato de esgoto (Rattus norvegicus)

SONY DSC

 É a maior das espécies, sendo forte e agressiva. Possui hábitos noturnos, habita  normalmente as redes públicas de esgoto ou outras galerias subterrâneas e lixões das  cidades. Raramente habitam o interior de residências, onde só entram para obter  alimentos. Tem hábitos noturnos, sendo o raio de ação para busca de alimento é de  aproximadamente 50 m em relação ao abrigo. São normalmente desconfiados. Comem de tudo; por isso são chamados onívoros.

  1. b) Rato de forro ou rato de telhado (Rattus rattus)

SAM_0732 É forte e ágil, preferindo buscar segurança e proteção nas estruturas superiores do imóvel (forros, beirais, telhado, ocos de árvores que estejam próximos da copa, etc). Apresentam hábitos noturnos, descendo ao solo apenas para buscar alimento ou água. Seu raio de ação para busca de alimento é de aproximadamente 60 m em relação ao abrigo. Assim como as ratazanas, são geralmente desconfiados. Sua dieta é baseada em legumes, frutas, cereais e insetos.

  1. c) Camundongo ou catita (Mus musculus)

rato-camundongo Dentre as 3 espécies, é a menor. Geralmente é um animal com alto metabolismo, sendo agitado e constrói seus ninhos no interior das residências, como móveis, gabinetes, gavetas, armários, caixas sem uso constante, etc. São geralmente curiosos, e seu raio de ação para busca de alimento é de aproximadamente 3 a 5 m em relação ao abrigo. Podem visitar de 20 a 30 locais por noite em busca de alimento. Sua dieta é baseada em grãos e cereais.

COMO VERIFICAR A PRESENÇA DE ROEDORES.

Existem alguns sinais que denunciam a presença de roedores em um imóvel:

  1. a) Sons:

É possível escutar à noite barulhos de corridas rápidas, ou de roeduras, nos forros de gesso ou madeira ou também em locais mais tranqüilos do imóvel.

  1. b) Fezes:

As fezes dos camundongos têm aproximadamente 0,5 cm de comprimento e são afiladas nas pontas. As fezes de ratos de telhado têm o mesmo aspecto, porém com o comprimento maior (aproximadamente 1 cm). No caso das ratazanas, as fezes têm o comprimento de aproximadamente 1,5 cm e não tem as pontas afiladas.

  1. c) Urina:

Quando exposta à luz ultravioleta, a urina dos ratos emite fluorescência, mesmo depois de seca.

  1. d) Trilhas:

As trilhas usadas como comunicação das tocas ao alimento, quando feitas em um jardim, são facilmente reconhecidas, pois a vegetação se torna rala ou inexistente nesses locais.

  1. e) Marcas de gordura:

Quando os ratos caminham por um local, geralmente o fazem roçando seus corpos nas paredes enquanto se deslocam. Utilizando-se do mesmo caminho, as paredes ficam marcadas com a gordura dos pelos do corpo.

  1. f) Roeduras:

Marcas de dentes embaixo das portas, em portas de armários, portas de gabinetes, denunciam a presença dos roedores.

  1. g) Excitação de cães a gatos:

Esses animais têm um olfato muito apurado e ficam especialmente agitados quando percebem a invasão do seu ambiente por roedores.

  1. h) Ninhos:

Muitas vezes são feitos com papéis, pedaços de tecidos, com a presença de grande quantidade de pelos, amontoados em um ponto do imóvel pouco utilizado.

FORMAS DE TRATAMENTO.

Para realizar um controle da população de roedores em um local, é necessário antes de mais nada identificar qual ou quais espécies estão convivendo no imóvel. Essa informação é de fundamental importância, pois será a partir dela que serão discutidas as estratégias de controle, baseados nos hábitos comportamentais da espécie em questão. Sempre é bom lembrar que o controle total da população de roedores é extremamente difícil de ser realizado, pois a dinâmica de uma população apresenta uma série de variáveis difíceis de serem controladas ao mesmo tempo. Além disso, o aporte de alimentos, água e abrigos que o homem fornece aos roedores é vastíssimo, tornando delicada a operação. Mas existem abordagens de tratamento que, juntamente com o apoio do cliente no cumprimento de medidas preventivas para evitar a entrada de roedores no imóvel, podem efetivamente reduzir a população no local ou nos arredores. Podem ser realizadas a instalação de iscas raticidas em pontos estratégicos, baseado no comportamento de procura de fontes alimentares dos roedores, uso de raticidas em pó de contato no interior das tocas, para que os ratos, incomodados com o pó impregnado em seus pelos, façam o uso da limpeza habitual lambendo-se a absorvendo o raticida. Ou também podem ser usadas placas de cola estrategicamente instaladas, para a captura de camundongos ou ratos maiores, em locais onde não é permitida a instalação de raticidas, como por exemplo áreas de produção em uma indústria.

FORMAS DE TRATAMENTO

Para realizar um controle da população de roedores em um local, é necessário antes de mais nada identificar qual ou quais espécies estão convivendo no imóvel. Essa informação é de fundamental importância, pois será a partir dela que serão discutidas as estratégias de controle, baseados nos hábitos comportamentais da espécie em questão.

Sempre é bom lembrar que o controle total da população de roedores é extremamente difícil de ser realizado, pois a dinâmica de uma população apresenta uma série de variáveis difíceis de serem controladas ao mesmo tempo. Além disso, o aporte de alimentos, água e abrigos que o homem fornece aos roedores é vastíssimo, tornando delicada a operação.

Mas existem abordagens de tratamento que, juntamente com o apoio do cliente no cumprimento de medidas preventivas para evitar a entrada de roedores no imóvel, podem efetivamente reduzir a população no local ou nos arredores. Podem ser realizadas a instalação de iscas raticidas em pontos estratégicos, baseado no comportamento de procura de fontes alimentares dos roedores, uso de raticidas em pó de contato no interior das tocas, para que os ratos, incomodados com o pó impregnado em seus pelos, façam o uso da limpeza habitual lambendo-se a absorvendo o raticida. Ou também podem ser usadas placas de cola estrategicamente instaladas, para a captura de camundongos ou ratos maiores, em locais onde não é permitida a instalação de raticidas, como por exemplo áreas de produção em uma indústria.

O serviço de desratização é realizado para eliminar ratos

A Desratização é feita com Iscas Parafinadas, granulada ou pó de contato, a isca Consiste em aplicar iscas amarradas, ou em porta iscas, em pontos estratégicos e localizados apropriado. todos os produto são de dose única para elimina o roedor com mínio de raticida ingerido, levando o rato a morte por hemorragia interna, ressecando-o sem deixar cheiro no local. Essas iscas são atrativas com grão e contém cereais, o que garante que ele encontre as iscas de forma mais rápida.

Desratização e Realizado Com Porta Iscas: O porta isca é uma embalagem para condicionarmos o produto sem danificar, nesta embalagem, temos uma série de benefícios, evita molha, levar sol, protege das pessoas e animais, no controle de roedores é uma das maneira mais segura para o homem, além de acompanhar mensalmente o nível de produto de cada ambiente que ali se encontra.

Desratização com Isca Granulada: Colocação de iscas granuladas em porta iscas, em pontos estratégicos para manter a segurança. O produto de dose única para elimina o roedor por hemorragia interna, ressecando-o sem deixar cheiro no local. Essas iscas são atrativas e contém grande número de  cereais, o que garante que os ratos encontre as iscas de forma mais rápida.

Desratização com Pó de Contato: Consiste na colocação do produto nas vias de acesso. Tem a função de contaminá-lo através de contato com o produto, aderindo ao pelo do roedor, os ratos tem o hábito de se limpar e através da limpeza ingere o produto de dose única levando a morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *